Pule para o conteúdo principal

A INTELIGÊNCIA É ARTIFICIAL; O CONSUMIDOR, NÃO

A INTELIGÊNCIA É ARTIFICIAL; O CONSUMIDOR, NÃO

mão humana segurando a mão de um robô

Partindo dessa premissa, o que as empresas de tecnologia estão fazendo? Algumas delas, incluindo gigantes como Microsoft e Amazon, estão abandonando os robôs de relacionamento modernos e voltando a adotar bots mais simples, baseados em árvores de decisão.

Segundo reportagem recente do VentureBeat, a razão para debandada está na falta de eficiência dos bots complexos, que aprendem com cada interação. Quanto mais naturais pareceram, a expectativa do cliente cresceu. E os robôs não acompanharam essa expectativa.

Embora recebam grandes investimentos, a maioria dos bots ainda é limitada para lidar com a subjetividade dos clientes – seja numa conversa via chat ou mesmo em telemarketing. A questão, no entanto, não tem a ver com uma tecnologia ruim, mas com falta de assertividade e necessidade de maior aperfeiçoamento.

E você: já teve uma experiência de interação frustrada – ou mesmo elogiável – com um robô de relacionamento? Conte para gente nos comentários.

Os comentários estão encerrados.