Aparelhos domésticos que marcaram época

Aparelhos domésticos que marcaram época

Os telefones de discar esbanjavam charme. (Foto: Pixabay)

O mundo moderno tem os seus desafios, mas também oferece uma série de vantagens. Quem não gosta de aproveitar as facilidades que a tecnologia proporciona nos dias de hoje? Isso fica ainda mais claro quando lembramos que, há algum tempo, as coisas eram bem diferentes. As TVs de 30 ou 40 anos atrás, por exemplo, ficavam bem aquém das telonas de LED que temos em casa na atualidade. E como comparar os smartphones com os telefones de discar?

Apesar de contarem com menos recursos, os equipamentos do passado estãoem nossa memória afetiva. Hoje, o Túnel do Tempo do Blog da Bem leva você a um passeio por alguns aparelhos domésticos que marcaram as nossas vidas.

TV P&B

As TVs atuais têm cores tão vivas que o espectador quase crê estar dentro das cenas. Mas há 50 anos elas só existiam em preto e branco (P&B). Os primeiros aparelhos começaram a ser vendidos no Brasil em 1950 – e o público ficou limitado aos tons de cinza até 1972, quando a tecnologia a cores chegou ao país. Antes, porém, o mercado tentou improvisar: nos anos 1960, foram lançadas folhas plásticas coloridas que deveriam ser colocadas em frente à tela. A ideia era quebrar um pouquinho a monotonia das imagens.

Rádio valvulado

A TV demorou um pouco para se popularizar no país. Até ela se multiplicar pelas casas, quem ocupava o lugar de honra das salas de estar era o rádio. Muitas famílias se reuniam ao redor dos grandes rádios de válvula para ouvir notícias, músicas e novelas. Além de entreter, os aparelhos adornavam o ambiente. Alguns tinham frequências de ondas curtas, que permitiam sintonizar emissoras de países vizinhos e até da Europa.

Telefone de discar

Já reparou que os smartphones têm a opção “discar” para realizar ligações? O verbo não faz muito sentido atualmente, quando basta clicarmos na tela. No passado, entretanto, era preciso literalmente girar o disquinho de plástico ou de metal dos telefones várias vezes para conversar com alguém. E demorava um tanto para que cada número fosse até a marcação da sequência e voltasse à posição original. Nos anos 1980, os telefones de discar deram lugar aos aparelhos de tecla – bem mais ágeis, mas sem o mesmo charme.

Máquinas de costura com pedal

Mamães e vovós sempre foram feras na costura – e muitas usavam esse talento pra produzir suas próprias ou até somar no orçamento da casa. Há algumas décadas, o sonho de muitas costureiras era ter uma máquina elétrica. Boa parte delas trabalhava com máquinas de pedal, acionadas pelo movimento do pé, numa mecânica semelhante à dos antigos teares. Hoje, essas peças são vendidas como relíquias. A meninada também gostava do aparelho: a brincadeira, aqui, era fingir que se estava dirigindo um carro na roldana redonda.

Ferro de passar a carvão

Eis um aparelho pra lá de antigo. O ferro aquecido com carvão é o avô dos aparelhos elétricos e a vapor. Eles eram feitos como um material metálico muito pesado e traziam um compartimento para acondicionar pedaços de carvão em brasa. Como era todo de ferro, o aparelho não tinha isolamento. Ou seja, além de passar a roupa, acabava esquentando a mão de quem o usava.

Crédito das fotos: Pixabay e Freepik

Os comentários estão encerrados.