Pule para o conteúdo principal

CONHEÇA OS RISCOS DO PHISHING

CONHEÇA OS RISCOS DO PHISHING

Figura de um homem de moletom escuro mexendo no notebook

Um em cada quatro brasileiros foi vítima de phishing em 2018. O golpe cibernético criado para roubar senhas e dados pessoais é cada vez mais comum no Brasil, líder no ranking mundial desse tipo de crime. Segundo uma pesquisa da Kaspersky Lab, Portugal (com 17,7% da população afetada), Rússia (17,3%) e França (17,3%) vêm logo atrás. Os números foram apresentados durante a 8ª Conferência de Analistas de Segurança para a América Latina, realizada na semana passada, no Panamá.

Como ocorre o phishing

Os sites ainda são o principal vetor para o golpe. Em 2018, quase 62% das ações utilizaram páginas da web. Muitas vezes, porém, o processo começa num simples e-mail. A vítima recebe uma mensagem com o pedido de envio de informações cadastrais. Nela, há um link para o site que irá capturar os dados.

A estratégia dos criminosos é criar endereços (URLs) semelhantes aos de instituições conhecidas – como bancos ou órgãos do governo. O estudo também revelou um crescimento do golpe por canais como SMS, WhatsApp e redes sociais. As empresas vitimadas pelo phishing chegam a perder centenas de milhares de dólares. Por isso, a Bem Promotora  investe constantemente em soluções de prevenção e segurança voltadas a colaboradores, parceiros e clientes.

Os comentários estão encerrados.