Pule para o conteúdo principal

Mudanças na gestão da aposentadoria dos servidores federais pelo INSS

Mudanças na gestão da aposentadoria dos servidores federais pelo INSS

aposentadoria servidor federal INSS

Mudança atinge servidores de autarquias e fundações federais.

O Ministério da Economia autorizou a transferência da gestão de aposentadorias e pensões de servidores das autarquias e fundações públicas federais — como agências reguladoras e universidades públicas — para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Os requisitos gerais para a centralização dos benefícios concedidos a essa fatia do funcionalismo público, como comprovação de vida, foram divulgados através do Diário Oficial da União (DOU), na edição do dia 14/7. A seguir, entenda o que muda com a gestão da aposentadoria dos servidores federais e toda instrução normativa pelo INSS.

Aposentadoria de servidores federais pelo INSS: destaques da nova portaria 

A Portaria 8.371/2021 trata da unificação dos serviços de concessão e manutenção destinados a servidores públicos de cargo efetivo do Poder Executivo. Antes do novo instrumento (que faz parte do Decreto 10.620) entrar em vigor, a responsabilidade cabia ao Governo Federal.

A migração do Regime Próprio de Previdência dos Servidores (RPPS) para o INSS tem como objetivo facilitar a gestão e unificar os processos ligados ao de  aposentadoria e pensões.

Dessa forma, os beneficiários podem usufruir dos seus direitos com mais agilidade Por outro lado, na opinião de parlamentares e especialistas de previdência social, sem mudanças profundas na estrutura do INSS, a estratégia pode aumentar o tempo de espera para a liberação dos benefícios dos servidores contemplados pelo decreto.

Até o momento, as mudanças não se aplicam ao funcionalismo ligado aos Poderes Legislativo e Judiciário. Essa mudança poderá ser feita futuramente, caso seja de interesse do próprio Ministério.

Aspectos iniciais da transição para o INSS 

O foco da regulamentação está na reforma administrativa das autarquias e fundações públicas federais. Assim, algumas definições de processo ficaram inicialmente estabelecidas. Confira:

  • O INSS é a entidade responsável por definir a ordem da centralização.
  • Será elaborado um acordo de cooperação técnica entre o INSS e as entidades.
  • As informações das entidades irão auxiliar a elaboração de um plano de trabalho voltado à transferência dos dados.
  • Nem todas as atividades das autarquias e fundações públicas federais serão realizadas pelo INSS. Os entes de origem continuam responsáveis pelo atendimento de demandas judiciais, administrativas ou de órgãos de controle ligadas aos servidores ativos, aposentados e pensionistas.
  • O INSS e a Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGDP) são as partes que vão definir o planejamento da operacionalização das centralizações. É importante que os beneficiários do INSS estejam atentos a essas definições.

Quem será impactado pela gestão da aposentadoria de servidores federais pelo INSS 

Confira abaixo alguns exemplos de entidades da administração indireta impactadas diretamente pela mudança que concentra a gestão da aposentadoria de servidores federais pelo INSS.

  • Anac (Agência Nacional de Aviação Civil)
  • Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)
  • Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)
  • Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)
  • Agência Nacional de Mineração (ANM)
  • Banco Central do Brasil
  • Comissão de Valores Mobiliários (CVM)
  • Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade)
  • Departamento Nacional da Infraestrutura de Transportes (DNIT)
  • Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama)
  • Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI)
  • Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN)
  • Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra)
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
  • Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
  • Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE)
  • Superintendência de Seguros Privados (Susep)

Conforme a nova portaria, a divulgação da transferência da gestão de aposentadorias e pensões de servidores públicos para o INSS é responsabilidade dos respectivos órgãos de origem.

Dessa maneira, em breve, os funcionários das autarquias e fundações públicas federais atingidos pela mudança devem ser comunicados formalmente sobre a transição.

Críticas à gestão do funcionalismo público pelo INSS 

A gestão da aposentadoria dos servidores federais pelo INSS causa desconfiança em alguns setores. Já existem dois pedidos de suspensão da medida que foram protocolados na Câmara dos Deputados.

O Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 24/2021, assinado pelo deputado Jorge Solla (PT/BA), e o PDL 76/21, de autoria do deputado Hugo Leal (PSD/RJ), pretendem barrar a medida.

Em linhas gerais, existe um temor de que essa migração represente um prejuízo aos aposentados e pensionistas do serviço público federal. Isso porque a perda do vínculo com o órgão de origem poderia afetar o plano de carreira dos servidores, interferindo na concessão de futuros reajustes.

Além disso, a forma como a mudança está sendo conduzida poderia ser considerada inconstitucional.

Ambos os processos estão tramitando na Câmara dos Deputados. Você também pode acompanhar atualizações no aplicativo Meu INSS.

Pensando em pedir um empréstimo ou um cartão de crédito consignado? O site da Bem Promotora oferece informações adicionais relativas ao tema. Lá, você também encontra ótimas opções para diversos tipos de clientes, inclusive negativados. Simule sua proposta com a gente.