Pule para o conteúdo principal

Qual a taxa de juros do crédito consignado

Qual a taxa de juros do crédito consignado

Imagem de uma mão segurando uma calculadora

Um dos principais fatores analisados por quem busca um empréstimo é a taxa de juros cobrada pelas instituições financeiras. Esse item, aliado ao prazo e ao montante a ser captado, vai definir o quanto a operação será onerosa e se, de fato, caberá no bolso do cliente. Vale ressaltar que a taxa de juros do crédito consignado está entre as menores do mercado.

A definição da alíquota varia de acordo com a política de crédito de cada banco. Mas todos eles se baseiam no risco que estão contraindo ao liberar o dinheiro para o cliente. Quanto menor o potencial de inadimplência, menor será a taxa. Daí a vantagem do crédito consignado, cujas mensalidades são descontadas diretamente no contracheque ou na conta bancária.

Diferenças entre classes na taxa de juros do crédito consignado

Cada instituição financeira detém um cálculo próprio para definir a taxa de juros do crédito consignado. Isso inclui, por exemplo, quais são as metas internas do banco para o período; as suas reservas naquele momento; o público que deve ser atingido e até uma estratégia de posicionamento de mercado.

Já a oscilação da inflação impacta o setor de modo geral e altera os percentuais aplicados na maior parte das modalidades de crédito.

Segurança é um trunfo

A segurança, claro, é um fator fundamental nessa equação. Em geral, os servidores públicos têm vantagens maiores, em razão da estabilidade de emprego e dos bons ganhos.

Os funcionários da iniciativa privada também encontram benefícios na hora de contratar o empréstimo consignado, mas o risco de demissão acaba elevando um pouco a média dos juros.

Funcionários públicos

Os servidores públicos federais, estaduais e municipais (ativo e inativos), incluindo os militares, são os que encontram as menores taxas de juros do crédito consignado. Além disso, eles têm acesso a prazos estendidos, que podem chegar a 96 meses.

De acordo as avaliações do Banco Central do Brasil, as alíquotas aplicadas para esses clientes variam entre 0,98% e 4,79% ao mês. O espectro parece bastante amplo. Entretanto, a maior parte das instituições cobra entre 1,1% e 1,8%, sendo essa a média do mercado.

Aposentados e pensionistas do INSS

As taxas de juro do crédito consignado também são bastante atrativas para os aposentados e pensionistas do INSS. O Banco Central aponta que os percentuais para essa modalidade de crédito flutuam entre 1,3% e 2,1%. A maioria das instituições, porém, apresenta ágios abaixo de 2% para o empréstimo consignado INSS.

Prazos podem variar

Aposentados e pensionistas do INSS devem ficar atento aos prazos de pagamento aplicados. Em razão da idade, os bancos aceitam fazer empréstimo em até 72 meses para esses clientes. Algumas instituições, contudo, estudam uma extensão do período. Nesse caso, as negociações para contratar o empréstimo consignado são individuais e podem interferir na alíquota base.

Funcionários da iniciativa privada

A falta da estabilidade é um ponto que pode elevar a taxa de juros do crédito consignado para esses clientes. Ainda assim, eles podem contratar o empréstimo. A opção, aliás, segue sendo bem mais vantajosa do que outras linhas de crédito, como empréstimos pessoais convencionais ou cheque especial.

As alíquotas demonstradas pelo relatório do Banco Central podem ir de 1,28% até 4,61% ao mês. É o maior espectro dessa categoria. Isso requer uma boa dose de pesquisa por parte dos clientes para encontrar a melhor opção. A maioria das instituições financeiras, entretanto, fica situada na faixa entre 2% e 3% ao mês.

De olho no CET

A taxa de juros não é o único fator que concorre para a formação do preço da mensalidade do empréstimo consignado. O cálculo, na prática, é determinado pelo Custo Efetivo Total (CET). É o CET que indica o valor total que você vai pagar por mês.

Essa equação leva em conta uma série de outros encargos, como Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), tarifa de cadastro (cobrada em alguns casos para aumentar a segurança dos bancos), seguros e taxas de administrativas.

Margem consignável

Outro ponto importante na hora de pesquisar as linhas de crédito consigo é a necessidade de entender a margem consignável. Esse é o percentual dos seus vencimentos que pode ser comprometido com operações de crédito. O Banco Central do Brasil permite que até 35% da renda seja direcionada à utilização de descontos diretos no contracheque.

A maior fatia (30%) fica reservada para os chamados empréstimos consignados. Os outros 5% são exclusivos para uso do cartão de crédito consignado. Digamos que o seu salário seja de R$ 1 mil por mês. Assim, você poderá contrair até R$ 350 em empréstimos consignados. Essa é a sua margem consignável.

Pensando em pedir um empréstimo consignado? O site da Bem Promotora oferece informações adicionais relativas ao tema. Lá, você também encontra ótimas opções para diversos tipos de clientes, inclusive negativados. Simule sua proposta com a gente.

 

Os comentários estão encerrados.