Empréstimo Pessoal e Consignado: entenda as diferenças

Empréstimo Pessoal e Consignado: entenda as diferenças

Empréstimo pessoal e consignado

Critérios como prazos de pagamento e juros diferenciam as duas linhas de crédito.

O dinheiro pode até não trazer felicidade. Mas ninguém nega a sua importância – seja para realizar um sonho ou apenas manter as contas em dia. Quando os recursos financeiros tornam-se insuficientes, pode ser necessário um reforço pontual. É possível, por exemplo, recorrer a um empréstimo.

O mercado oferece diversas linhas de crédito. As duas principais são empréstimo pessoal e consignado. Mas você sabe a diferença entre ambas? O Blog da Bem pode ajudar. Confira!

Crédito ou empréstimo

É bom saber que os termos empréstimo e crédito têm o mesmo significado. Ambos podem ser utilizados pelos bancos e empresas do setor financeiro para se referir à tomada de um dinheiro extra.

Outro ponto importante é que tanto o empréstimo pessoal quanto o consignado são dedicados a pessoas físicas. Ou seja, dá para dizer que o consignado é um tipo específico de crédito pessoal. A seguir, a gente deixa isso mais claro.

Empréstimo pessoal

O empréstimo pessoal é uma das modalidades mais difundidas pelo mercado. A vantagem, aqui, é que não há tantas condições impostas ao cliente para a liberação do dinheiro.

Em geral, os bancos realizam uma rápida análise dos bens e dos ganhos de quem opta por tipos de empréstimo como esse, para checar se a pessoa reúne condições de quitar o montante que está sendo pedido. Após a aprovação, a quantia é transferida para a conta corrente do cliente e pode ser usada para a finalidade que ele quiser. Seja na aquisição de bens e serviços ou para o pagamento de dívidas.

Em razão da baixa exigência de garantias, os bancos tendem a aplicar taxas de juros mais altas no empréstimo pessoal. É uma forma de resguardo utilizado pelas instituições.

As alíquotas médias ficam em torno de 6% ao mês para empréstimos pagos em 12 parcelas. Os valores variam de acordo com o prazo, que pode chegar a 48 meses. É preciso que o consumidor fique atento. Ainda assim, são taxas mais baixas do que as do cheque especial (em torno de 13,5% ao mês) ou do cartão de crédito (300% ao ano).

Não é necessário ter uma conta no banco

Para solicitar o empréstimo pessoal, não é preciso, necessariamente, ter conta em banco. Porém, nesse caso, a aprovação do crédito é mais difícil. É provável que a instituição financeira exija um avalista para o negócio e aplique juros mais altos. O pagamento será feito via boleto bancário.

Empréstimo consignado

O empréstimo consignado é um tipo de crédito direcionado apenas para pessoas que trabalham com carteira assinada, funcionários públicos, aposentados e pensionistas.

A restrição se deve ao fato de a parcela do crédito ser descontada diretamente do salário ou da pensão do cliente. Ou seja, a cada mês, o valor é debitado no contracheque.

Por isso, a quantia do empréstimo consignado tem uma limitação estipulada. A parcela mensal não poderá ultrapassar 30% do salário. É possível contratar mais de um empréstimo desse modelo, mas a soma não poderá exceder o percentual limite.

A principal vantagem do credito consignado é que a sua alíquota de juros é mais baixa na comparação com o empréstimo pessoal. Isso porque a segurança dos bancos é maior.

Por outro lado, o cliente precisará compreender que contará com um salário menor enquanto durar o prazo de pagamento.

Empréstimo para funcionário público x privado

As taxas e os prazos aplicados pelos bancos para o empréstimo consignado variam de acordo com o sistema ao qual o cliente é vinculado.

Os funcionários de empresas públicas levam vantagem. Como têm estabilidade, encontram taxas mais baixas (entre 1,5% e 2,5%) nesse tipo de crédito, com prazos que podem chegar a 96 meses. Já os juros para quem trabalha com CLT ficam na faixa de 2,5% a 3,5% ao mês, com prazos de até 48 meses.

Em caso de demissão, o cliente precisará buscar a instituição financeira para quitar ou renegociar a dívida. As taxas de juros podem, inclusive, ser aumentadas. Alguns contratos vinculam a cobrança da dívida à rescisão do empregado.

Cuidados básicos

Na hora de solicitar um empréstimo, seja pessoal ou consignado, o cliente deve atentar a duas questões básicas:

– A primeira é se certificar de que a instituição procurada possui vínculo com o Banco Central;

– A segunda é avaliar com detalhes os termos do contrato para que fiquem bem claros os limites e direitos de cada parte envolvida no negócio.

Precisa de um empréstimo e ficou com alguma dúvida? A Bem Promotora tem a solução ideal para você. Simule sua proposta com a gente!

Os comentários estão encerrados.