Pule para o conteúdo principal

Saiba como aumentar a sua margem consignável

Saiba como aumentar a sua margem consignável

aumento da margem consignável

Refinanciamento é uma das formas de ampliar o limite do crédito consignado. (Foto: Shutterstock)

Contar com um respiro financeiro pode fazer toda a diferença em tempos de crise. Ainda mais se você optar pelo empréstimo consignado, uma das linhas de crédito mais atrativas do mercado. A legislação, entretanto, indica que só é possível comprometer 35% da renda líquida com produtos consignados, seja empréstimo direto ou cartão de crédito. Mas saiba que existem formas de aumentar a sua margem consignável. E sem se prejudicar financeiramente a curto ou longo prazo.

Dá para você estudar a melhor maneira de conseguir um novo valor emprestado sem a necessidade de fazer mais um contrato. A seguir, o blog da Bem Promotora te mostra como calcular a sua margem consignável e três alternativas para ampliá-la.

O que é margem consignável 

A margem consignável é uma ferramenta estipulada pelo Banco Central do Brasil para evitar que as pessoas comprometam uma quantia muito alta de seus vencimentos com empréstimos consignados. Ou seja, é uma forma de frear o endividamento.

Todos os públicos que têm direito ao crédito consignado estão sujeitos a essa resolução. Os perfis incluem aposentados e pensionistas do INSS, trabalhadores do setor privado em regime de CLT, militares e servidores públicos ativos e inativos. Um projeto de lei foi lançado recentemente para alterar padrões do empréstimo consignado para aposentados, em razão do coronavírus.

Como funciona o cálculo

O percentual máximo estabelecido por lei é de 35%. Desse total, 30% são reservados para empréstimos e 5% para cartões de crédito. Isso significa que a parcela mensal do crédito consignado, descontada diretamente do contracheque ou da folha de pagamento, não poderá exceder esse percentual do salário.

Se uma pessoa ganha R$ 2 mil, por exemplo, a sua margem consignável será de R$ 600 para empréstimos e de R$ 100 para o cartão de crédito. Isso é o que ela poderá comprometer. Ela pode, inclusive, fazer dois ou mais contratos de crédito consignado com o mesmo banco ou com instituições financeiras diferentes. Nesse caso, a soma das parcelas dos diferentes empréstimos não poderá exceder R$ 600.

Acréscimos como 13º salário, por exemplo, não aumentam o limite. O mesmo vale para outras remunerações e auxílios temporários que possam altar o benefício do INSS ou os vencimentos do servidor público, já que são consideradas verbas variáveis. Em caso de dúvida, várias instituições financeiras disponibilizam ferramentas online para consultar a margem consignável.

Formas de aumentar a margem consignável 

Apesar do teto de financiamento, existem alguns caminhos para ampliar o limite de consignação. Vale lembrar, porém, que cada situação financeira precisa de uma solução diferente. Analise seus ganhos, gastos e planejamento a longo prazo e escolha a melhor opção que atende às suas necessidades.

Refinanciamento do contrato

Essa é uma opção para quem já quitou entre 15 e 30% do crédito consignado e quer captar um novo valor junto à mesma instituição financeira. Na prática, é como se fosse feito um segundo empréstimo, mas sem assumir um novo contrato.

O banco abate as parcelas que já foram pagas e refinancia o restante. As parcelas seguem no mesmo valor, mas o prazo de pagamento é ampliado. O abate permite uma nova liberação de crédito, como uma espécie de troco.

No refinanciamento, também é possível negociar taxas menores e unir mais de um crédito em andamento em um contrato único. Aqui, quanto maior for a parte já quitada, maior será o aumento da margem. Os parâmetros, claro, dependem da política de crédito da instituição financeira.

Portabilidade de crédito

A portabilidade permite que o cliente transfira o consignado (ou financiamentos e arrendamentos mercantis) de um banco para outro. Essa estratégia foi criada em 2013 pelo Governo Federal, como forma de incentivar a concorrência entre as instituições e permitir que os clientes encontrem e negociem taxas melhores.

Quando é feita a portabilidade, o contrato pré-existente é cancelado e quitado pelo banco que receberá a dívida. O banco de onde o empréstimo está sendo transferido é obrigado a aceitar a solicitação, fornecendo todas as informações necessárias para o processo. No novo contrato, o valor inicial do crédito e o prazo de pagamento serão os mesmos, mas as taxas podem ser reduzidas.

Quitação do contrato

Quitar um empréstimo antecipadamente também é uma opção para conseguir uma margem consignável maior. Antecipar o pagamento é um direito de todo o tomador, previsto no Código de Defesa do Consumidor, e as instituições financeiras não podem cobrar taxas sobre esse procedimento.

Conforme a vontade do cliente, será emitido um boleto com o valor total ou parcial do saldo devedor – mas sem os juros que incidiriam nas próximas parcelas. Assim, é uma alternativa que gera descontos, mas que se aplica principalmente a quem já tem dinheiro reservado e quer apenas aliviar as cobranças diretas no contracheque. Nesse caso, é possível retomar a totalidade da margem consignável.

Pensando em pedir um empréstimo ou um cartão de crédito consignado? O site da Bem Promotora oferece informações adicionais relativas ao tema. Lá, você também encontra ótimas opções para diversos tipos de clientes, inclusive negativados. Simule sua proposta com a gente.